Anne Frank morre num campo de concentração Nazi

12 Março 1945

Na manhã de 04 de agosto de 1944, o esconderijo onde estava a família de Anne Frank foi invadido pela Guestapo e as oito pessoas foram levadas para uma prisão em Amsterdãm, depois foram transferidos para Westerbork, um campo de triagem.

Em 03 de setembro foram deportados e chegaram a Auschwitz (Polônia). Edith Frank morreu em Auschwitz-Birkenau em 6 de janeiro de 1945, de fome e exaustão.

Anne e sua irmã foram levadas para Bergen-Belsen, campo de concentração perto de Hannover (Alemanha). A epidemia de tifo que assolou o local no inverno e resultou em terríveis condições de higiene, matou milhares de prisioneiros, inclusive Margot, e alguns dias depois, Anne.

Anne Frank faleceu em Bergen-Belsen, Alemanha, provavelmente em 12 de Março de 1945, com apenas 15 anos de idade.

O pai de Anne, Otto Frank, foi o único dos oito amigos a sobreviver aos campos de concentração. Foi libertado pelas tropas russas. Chegou a Amsterdã em 3 de junho de 1945, onde ficou até 1953.

O diário de Anne Frank foi encontrado por Miep Gies e Bep Voskuijl, as duas secretárias que trabalhavam no prédio que serviu de esconderijo, e entregue a Otto Frank.

O Diário de Anne Frank, escrito entre 12 de junho de 1942 e 1 de agosto de 1944, onde ela se dirige a sua querida Kitty, uma amiga imaginária, para contar o cotidiano de sua vida e o período de reclusão no esconderijo, constituiu um comovente testemunho desse tempo de terror e perseguição.

Depois de muito esforço, os escritos de Anne Frank foram publicados por seu pai, em 1947, com o título “O Diário de Anne Frank”.