Queda de neve devastadora mata 400 pessoas

11 Março 1888

O dia era 11 de Março de 1888. As temperaturas caíam rapidamente, transformando chuvas fortes em neve. O que ninguém imaginava é que o fenómeno seria tão devastador que viria a tornar se uma das maiores tempestades de neve da história dos Estados Unidos.

Por volta de meia-noite, enormes quantidades de neve, temperaturas muito baixas e ventos uivantes já paralisavam a costa leste do país, da Nova Inglaterra até a Baía de Chesapeake, passando por grandes áreas metropolitanas, como Nova Jersey, Nova York, Massachusetts e Connecticut.

A camada de neve atingiu marcas de 102 centímetros a 127 centímetros de espessura, e os ventos chegaram à velocidade de 129 quilómetros por hora, formando cúmulos de neve de até 15 metros de altura, que chegaram a cobrir casas de três andares.

A nevasca terminou dois dias depois, mas a população levou mais de uma semana para sair de casa e voltar à rotina. Estradas e rodovias foram bloqueadas, o serviço de trem parou de funcionar, bondes puxados por cavalos cancelaram suas operações e os navios ancorados nos portos não saíram. Em Nova York, uma locomotiva descarrilou durante a tentativa de empurrar montes de neve para fora dos trilhos, e muitos viajantes ficaram presos em carros sem aquecimento. Além disso, o derretimento da neve causou graves inundações, principalmente no bairro do Brooklyn, Nova York.