Catedral do Cristo Salvador em Moscovo destruída pelo ditador Estaline

5 Dezembro 1931

A segunda igreja mais conhecida de Moscovo levou 66 anos para ficar pronta, vivenciou três regimes políticos até ser demolida. A história dessa catedral está intimamente ligada à invasão de Napoleão e ao subsequente triunfo da Rússia sobre o Exército francês. A sua construção, no entanto, não foi menos dramática – e o resultado, não menos triunfante.

A maldição tornou se realidade quando os comunistas chefiados por Estaline  assumiram o governo do país. As novas autoridades soviéticas, que desejavam imortalizar a sua grandeza revolucionária, tinham em mente outro projecto – o Palácio dos Sovietes.

A escolha do lugar para a construção do grande palácio não deixava dúvidas sobre os planos do governo. O Palácio dos Sovietes deveria ser erguido no local da Catedral de Cristo Salvador – que, por sua vez, teria de ser demolida.

Em 5 de dezembro de 1931, a catedral foi implodida, destruindo parcialmente os edifícios próximos. Apesar da forte determinação do governo de então, foi preciso mais de um ano para limpar o local dos detritos deixados pela explosão.

Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, a construção do Palácio dos Sovietes acabou sendo interrompida, e o projecto jamais foi concluído.