Independência da Turquia

29 Outubro 1923

A Guerra da Independência Turca é o nome do conjunto de eventos militares e políticos que tinha por objectivo pôr fim ao Império Otomano, e que acabou por levar à sua abolição. Após esse evento foi possível a criação de uma república na região, a República da Turquia, e ao posterior reconhecimento internacional dela para orgulho dos combatentes e que apoiavam o objectivo dessa Guerra.

No dia 19 de maio de 1919 deu se início ao processo de Guerra da Independência Turca, o herói Galípoli comandou o processo através do coronel Mustafa Kemal Atatürk os ataques deram o seu ponto de partida contra os invasores: França, Inglaterra e Itália.

Os responsáveis pelo movimento estabeleceram alianças com os bolcheviques russos e conseguiram o seu apoio, mas em troca deviam entregar os territórios do Cáucaso, incluindo a Arménia. Lenine enviou como ajuda aos seus amigos 60 peças de artilharia Krupp, 70.000 granadas, 10.000 minas, 1.000.000 de espingardas russas e 250.000 baionetas.

A França foi o 1º ocupante que os nacionalistas contra-atacaram e reconquistaram as suas cidades, como Mersin, Tarso e Mardin, e ainda impediram que os Franceses continuassem a avançar. Sem condições de continuar na ocupação, a França assinou o Tratado de Ancara e saiu da guerra.

O Tratado de Lausanne foi assinado entre as partes envolvidas em Julho de 1923, restaurando as fronteiras e a soberania da Turquia. A República da Turquia foi proclamada por Mustafa em 29 de Outubro de 1923, tornando-se presidente e fazendo grandes reformas no país que o deixaram conhecido como Atatürk (Pai dos Turcos).