Coroação dos Reis da Jordânia

9 Junho 1999

Descendente directo de Maomé – os hachemitas devem o nome ao bisavô do profeta do islão, Hashim -, Abdullah II assumiu o trono da Jordânia em 1999, por morte do pai. Mas foi de Hussein que herdou o espírito aberto e o desejo de reformas. Filho de Gardiner, que após o casamento se tornou na rainha Muna al-Hussein, o príncipe foi educado nos Estados Unidos, mas recebeu formação militar na famosa academia de Sandhurst, no Reino Unido.

Nascido em 1962 em Amã, Abdullah foi príncipe herdeiro apenas durante três anos, até o pai alterar a Constituição a favor do irmão. Hussein pretenderia assim proteger a vida do filho, numa época conturbada em que ele próprio já escapara a várias tentativas de assassínio. Abdullah só recuperaria o estatuto de herdeiro 14 dias antes da morte de Hussein. Em 2009, ele próprio mudou a Constituição para fazer do filho Hussein príncipe herdeiro, em detrimento do irmão.

Casado desde 1993 com Rania, Abdullah descreveu com um simples “Uau!”, na sua autobiografia, a primeira impressão que teve da bela jordana de origem palestiniana na primeira vez que a viu, em casa da irmã. A origem da mulher é uma mais-valia num país onde grande parte da população descende de refugiados palestinianos. Pais de quatro filhos, os reis são um exemplo de modernidade na região – ela é a campeã das redes sociais, ele gosta de andar de moto, mergulhar, fazer pára-quedismo e até apareceu como figurante num episódio da série de culto Star Trek.

Abdullah até já serviu de guia num programa turístico do Disco-very Channel. Mas, em 2005, um atentado terrorista contra hotéis de Amã veio pôr em causa a reputação de segurança da Jordânia.

Depois de seis anos de casamento, Rania foi proclamada Rainha em 1999, quando o marido assumiu o trono.