Nascia S. Vicente de Paulo

24 Abril 1581

Vicente de Paulo nasce a 24 de Abril de 1581 em Pouy, na Gasconha, França, hoje Saint-Vincent-de-Paul. Apesar de dotado de aguda inteligência, até aos 15 anos dedicou-se a trabalhar nos campos e a cuidar dos porcos, para ajudar a modestíssima família camponesa.

Em 1595 deixou Pouy para ir estudar no colégio franciscano de Dax, sustentado financeiramente por um advogado da região, que sensibilizado pela sua perspicácia, convence os pais a deixá-lo estudar, o que então equivalia a começar o percurso eclesiástico.

saovicentedepaulo

Após um breve tempo no colégio, tendo em conta os óptimos resultados nos estudos, o seu mecenas acolhe-o em casa, confiando-lhe a educação dos filhos.

Vicente recebe a tonsura e as ordens menores a 20 de Dezembro de 1596, depois, com a ajuda do seu patrono, pôde inscrever-se na universidade de Toulouse para os cursos de Teologia. A 23 de Setembro de 1600, com apenas 19 anos, é ordenado sacerdote pelo antigo bispo de Périgueux, continuando os estudos até se diplomar, em Outubro de 1604.

Esperou, em vão, obter rendimento como pároco. Entretanto perde o pai, e as dificuldades económicas da família agravam-se. Para a ajudar, Vicente abre uma escola particular, embora sem sucesso, tendo ficado envolvido em dívidas.

Pelo final de julho de 1605, enquanto viaja por mar entre Marselha e Narbona, o barco é atacado por piratas turcos, e os passageiros são feitos prisioneiros e vendidos em Tunes, como escravos. Vicente é vendido a três donos, dos quais o último era um antigo frade que, por amor ao dinheiro, se tinha feito muçulmano.

pr_vida_svp

A escravidão dura dois anos, no fim dos quais reconquista a liberdade fugindo numa barca juntamente com o seu último dono, por ele convertido. Atravessando aventurosamente o Mediterrâneo, chegam no dia 28 de Junho de 1607 a Aigues-Mortes, na Provença.

Em Avinhão o renegado reconcilia-se com a Igreja, às mãos do vice delegado pontifício, Pietro Montorio, que, regressando a Roma, conduz consigo os dois homens. Vicente permanece na cidade durante um ano, depois volta a Paris em busca de uma colocação.

Finalmente em 1612 é nomeado pároco de Clichy, nos arredores de Paris. Neste período da sua vida ocorre o encontro decisivo com o cardeal Pierre de Bérulle, que acolhendo-o no seu oratório, o formou numa profunda espiritualidade. Ao mesmo tempo, sensibilizado pela vida de oração de alguns paroquianos, o padre Vicente, agora com 31 anos, deixa de parte as preocupações materiais e de carreira e começa a ensinar o catecismo, visita os doentes e ajuda os pobres.