Vulcão Etna entra em erupção matando mais de 20.000 pessoas

8 Março 1669

A 8 de Março de 1669, o vulcão Etna, localizado na ilha da Sicília da actual Itália, começa a “rugir” fortemente. Múltiplas erupções durante as semanas que se seguiram mataram mais de 20 mil pessoas, deixando outros milhares sem tecto. A maioria das vítimas poderia se salvar fugindo das lavas, mas decidiu permanecer, numa vã tentativa de salvar a sua cidade.

A Sicília é a maior das ilhas do mar Mediterrâneo, separada da Calábria, na península itálica, pelo estreito de Messina, que possui apenas três quilómetros de largura. Devido à sua posição geográfica, sempre teve um papel de importância nos eventos históricos que tiveram como protagonistas os povos do Mediterrâneo.

Vulcão-Etna-1

O monte Etna domina a ilha da Sicília. Atingindo cerca de 3.400 metros acima do nível do mar na região nordeste da ilha, pode ser avistado em quase toda a parte dos 25.700 quilómetros quadrados da região. O vulcão Etna é o mais alto da Europa e um dos mais altos do mundo, além da montanha mais alta da Itália ao sul dos Alpes. A sua altura pode variar devido às frequentes erupções. É um dos mais activos vulcões da Terra e está praticamente em constante erupção.

1ccc8063096b055c6cc52f18d829096554a43980
A história geológica do Monte Etna demonstra que periodicamente expeliu cinza e lava durante milénios. A primeira erupção registada foi em 475 a. C. Em 1169, um terremoto que antecedeu a uma erupção matou 15 mil pessoas. A despeito dos perigos de viver perto de um vulcão activo, as erupções fizeram das terras dos arredores um solo bastante fértil, de modo que muitos habitantes se desenvolveram no sopé da montanha.
Quando o Etna principiou a explodir e expelir gás naquele 8 de Março, os moradores ao redor ignoraram os sinais de perigo de uma erupção gigantesca. Três dias depois, o vulcão começou a expelir fumos tóxicos em grande quantidade. Aproximadamente 3 mil pessoas que viviam no sopé da montanha morreram asfixiadas.

5690878_x720
O pior viria em seguida. O Etna passou a expelir tremendas quantidades de cinza e lava derretida. A cinza foi emitida com tal força que quantidades significativas foram dar na parte meridional da península italiana, em alguns casos a 160 quilómetros de distância. A lava começou a escorrer no lado sul da montanha na direcção da cidade de Catânia, distante 30 quilómetros ao sul, ao longo da costa.