Julgamento do caso “ Rosenberg”

6 Março 1951

Julius e Ethel Rosenberg foram um casal de Judeus executados em 1953 após serem denunciados e condenados por espionagem. As acusações foram em relação à transmissão de informações sobre a bomba atómica para a União Soviética. A execução deles foi a primeira de civis por espionagem na História dos Estados Unidos.

Desde a execução, telegramas soviéticos descodificados parecem confirmar que Julius agiu como mensageiro e recrutador para os soviéticos, mas as dúvidas em relação ao nível de envolvimento de Ethel na espionagem persistem.

rosenbergs preso

A decisão de executar o casal foi e ainda é controversa. Os outros espiões capturados pelo FBI não foram executados. O irmão de Ethel, David Greenglass, que forneceu documentos a Julius, cumpriu 10 dos 15 anos de sua pena. Harry Gold que forneceu informações muito mais detalhadas aos soviéticos sobre a bomba atómica, cumpriu 15 anos. Morton Sobell, julgado junto com os Rosenbergs, cumpriu 17 anos e 9 meses. Em 2008 ele admitiu que era espião e confirmou que Julius estava “Numa conspiração que entregava aos soviéticos informações militares e industriais confidenciais”.

O julgamento dos Rosenbergs começou a 6 de Março de 1951. O juiz foi Irving Kaufman, que impôs a pena de morte ao casal, afirmando que o que eles haviam cometido era “pior que assassinato”. O advogado dos Rosenbergs foi Emanuel Hirsch Bloch. A principal testemunha da acusação foi David Greenglass, que afirmou que a irmã havia digitado notas contendo segredos nucleares dos EUA no apartamento do casal em Setembro de 1945. Ele também afirmou que um rascunho que havia feito da secção transversal de uma bomba atómica de implosão (como a “Fat Man” de Nagasaki) também havia sido entregue a Julius na mesma ocasião.

19151115_304

Os Rosenbergs foram condenados pelo júri a 29 de Março de 1951 e, em 5 de abril, sentenciados à morte pelo juiz Irving Kaufman. A condenação do casal serviu como combustível para as investigações de “actividades anti-americanas” do senador Joseph McCarthy. Enquanto a devoção dos dois à causa comunista era bem documentada, os Rosenbergs negaram participação nas acusações de espionagem mesmo minutos antes de serem levados à cadeira eléctrica.

Os Rosenbergs foram os únicos civis norte americanos executados durante a guerra fria por espionagem. Na sua argumentação impondo a pena de morte ao casal, o juiz Kaufman responsabilizou os dois não só pela espionagem mas também pelas mortes da Guerra da Coreia.

Os Rosenbergs foram executados no pôr-do-sol de 19 de Junho de 1953 na prisão de Sing Sing, em New York. Os seus túmulos encontram se no cemitério Wellwood em Pinelawn, New York.

rosenbergs1

Testemunhas oculares (conforme depoimentos dados ao documentário de 1982 The Atomic Cafe) descreveram as circunstâncias das mortes dos Rosenbergs; enquanto Julius morreu após a primeira série de choques eléctricos, a sua esposa não. Após o curso tradicional da sessão de electrocussão, os enfermeiros retiraram as cintas e outros equipamentos de Ethel para que os médicos determinassem se ela já havia morrido. Os médicos determinaram que ela ainda estava viva, pois o seu coração ainda batia. Então foram aplicadas três séries de electrocussão, o que acabou por resultar numa cena terrível em que uma grande quantidade de fumo saía da sua cabeça.