É assassinado Malcom X

21  Fevereiro 1965

No dia 21 de Fevereiro de 1965, Malcolm X, líder da luta contra a opressão dos negros nos Estados Unidos, é assassinado no Harlem.

Malcolm Little nasceu em 19 de maio de 1925 no Nebraska, Estados Unidos. Ele ainda era criança quando o pai, pastor batista, foi assassinado por brancos, provavelmente membros da Ku Klux Klan. Sem pais (a mãe estava internada num hospital psiquiátrico), Malcolm e seus irmãos foram entregues a orfanatos.

malcolm-x-1090473

Malcolm e uma irmã foram morar em Boston, onde sobreviveram com trabalhos temporários. Depois, ele mudou-se para o Harlem, bairro de maioria negra em Nova York. Escapou do serviço militar por fingir-se paranoico. Sua carreira no país dos brancos parecia programada: empregos temporários, pequenos delitos, prisão.

Em 1946, foi para a cadeia por roubo e receptação. Justamente no isolamento da penitenciária, ocorreu a conversão que transformaria o profundo conhecedor dos becos de Nova York num dos mais carismáticos líderes negros dos Estados Unidos. Atrás das grades, ele entrou em contacto com os ensinamentos de Elijah Muhammed, líder da “Nação do Islão”.

d7a54e73a449fa59f0cd5b24b7cda730

Malcolm estudou o Alcorão e outros escritos filosóficos e ao deixar a prisão em 1952 passou a dedicar-se à organização do Movimento dos Muçulmanos Negros. Trocou seu sobrenome de escravo “Little” por “X”, dizendo que “o X significa a rejeição do nome de escravo e ausência de um nome africano para ocupar o seu lugar”.

Com o passar do tempo, Malcolm foi ficando cada vez mais famoso. Começou a se distanciar do cliché de que todos os brancos são “endemoniados” e não queria continuar mantendo a fachada de movimento puramente religioso e apolítico.

transferir

Em Março de 1964, Malcolm X rompeu com o movimento e organizou a Muslim Mosque Inc., e mais tarde a “Afro-American Unity”, organização não religiosa. Numa viagem a Meca, a cidade sagrada dos muçulmanos, em 1963, mudou o nome para Al Hajj Malik Al-Shabazz. Seu rompimento com a “Nação do Islã” e sua entrementes posição conciliatória em relação aos brancos lhe trouxeram um certo isolamento.

No dia 21 de Fevereiro de 1965, aos 39 anos, ele foi morto com 13 tiros quando discursava no Harlem. Jamais foram encontradas provas, mas suspeitou-se do envolvimento da “Nação do Islão” no assassinato.

Suas ideias foram muito divulgadas na década de 1970 por movimentos como o Black Power e as Panteras Negras. Sua vida e obra também estão documentadas em vários filmes, sendo o mais famoso deles Malcolm X, dirigido por Spike Lee, de 1992.

fb69128c57ab0de178886f1886d1e104