“Rosa-Crucificação“ – Livro de Henry Miller

3 Dezembro 1949

Rosa-Crucificação é, de facto, um monumento literário – uma trilogia – com mais de mil e trezentas páginas. É aqui que Henry Miller conta a sua vida em Nova Iorque nos anos vinte e trinta: conta tudo o que é real no sentido mais profundo, sem manipular os próprios sentimentos, sem censurar o que pensava e sentia.

Henry-Miller

chega mesmo a chocar os mais convencionais leitores. Henry Miller, à portuguesa um bom vivedor, está prestes a fazer trinta e três anos e está casado e vive num e com um frigorífico. Casamento absolutamente gelado, trabalha numa companhia de telégrafos enquanto sonha em ser escritor e apaixona-se perdidamente pela dançarina Mona.

naom_55acbc1258274

Henry Miller experimenta, então, fugir da estabilidade que não o faz progredir e vai alimentando essa ruptura a cada capítulo que se segue. Quando não há sexo e erotismo, há o discorrer pesado de reflexões existenciais e monólogos filosóficos.