Aos 20 anos Mike Tyson torna se campeão de boxe

22 Novembro 1986

Os empresários Bill Cayton e Jim Jacobs souberam promover perfeitamente a carreira de Mike Tyson. Em 1985, com cerca de nove meses como profissional, as suas 15 lutas foram reunidas numa fita e entregues a todos os especialistas em boxe dos Estados Unidos. Não demorou muito e o rosto da nova sensação dos pesos pesados, principal categoria do boxe, estava na capa da revista Sports Illustrated.

Com 27 vitórias e 25 nocautes, Mike Tyson foi escolhido por Trevor Berbick, dono do cinturão mundial do Conselho Mundial de Boxe, para ser o seu primeiro desafiante, em 22 de novembro de 1986. “Quero dar uma lição naquele baixinho feio”, desafiou o arrogante campeão.

1479743400563
Apesar dos 20 anos de idade, Tyson tinha uma confiança inabalável. Subiu ao ringue vestindo calção e sapatilhas pretas, assim como Berbick, e acabou multado em US$ 1,5 mil, já que o campeão tinha a prerrogativa de escolher as cores que iria usar. Uma quantia irrisória diante do US$ 1,5 milhão da bolsa que receberia pela luta, mas que demonstrava bem a personalidade de Tyson. O clima no Hilton Hotel, em Las Vegas, estava electrizante e os 8,8 mil espectadores pareciam pressentir algo excepcional. Que realmente aconteceu.

Com 1,81 metro de altura e 100 quilos de músculos, Tyson não era o tipo dos pesos pesados da época. Tratava-se de um fenómeno físico, como é actualmente Usain Bolt, alto demais para ser um velocista. Com uma velocidade espantosa nos braços, pernas e quadril, aliada a uma precisão incrível na variedade de golpes, o Iron Man precisou de menos de dois rounds para destruir Berbick, realizando o desejo do lendário Muhammad Ali, que havia pedido uma “surra” ao seu algoz de cinco anos antes.
A cena final do combate, com Berbick caindo três vezes, completamente atordoado, é um dos momentos inesquecíveis do boxe.

1511353081968