“Milagre dos Andes “ – Acidente de aviação

13 Outubro 1972

Em 22 de Dezembro de 1972, dezasseis sobreviventes de uma catástrofe aérea são encontrados no topo da Cordilheira dos Andes . Para sobreviver à temperatura de 20 graus negativos, tiveram de comer os cadáveres congelados dos seus companheiros de voo.

O voo 571 da Força Aérea Uruguaia  tornou-se mais conhecido como a Tragédia dos Andes. A aeronave, que transportava 45 pessoas, incluindo uma equipe de rugby, caiu nos Andes em 13 de Outubro de 1972. Mais de um quarto dos passageiros morreu tanto durante quanto depois da queda.

acidente-com-aviao-que-transportava-equipe-de-rugby-uruguaia-teve-16-sobreviventes_1015929

Dos 29 que permaneceram vivos, outros oito acabariam mortos por uma avalanche que varreu o abrigo improvisado na fuselagem do avião. O último dos 16 sobreviventes seria resgatado apenas em 23 de Dezembro de 1972, mais de dois meses após o acidente.

O objectivo da viagem rumo a Santiago do Chile era participar num jogo amistoso. Mas, no momento em que estavam sobrevoando a Cordilheira dos Andes, o avião não resistiu às más condições climáticas e despenhou se no gelo e na neve.

Foram, no total, 72 dias de prisão naquele lugar inóspito, o que os obrigou a comer a carne dos corpos. A água era obtida derretendo-se a neve.  Os 16 sobreviventes não seriam resgatados sem que dois deles, Nando Parrado e Roberto Canessa, realizassem uma jornada épica em busca de ajuda. Por dias, os dois caminharam em busca de socorro, enfrentando temperaturas extremas, ventos violentos, altitudes sufocantes e o cansaço provocado pelos ferimentos.

capa

Os dois encontraram uma propriedade aonde pediram ajuda. Avistaram um camponês e fracos para gritar, lançaram uma pedra com um bilhete, que terminava com um desesperado “por favor, venham nos socorrer”.

“Não havia tempo para pensar no que pudesse parecer correto ou não para o mundo”, disse, anos depois, Roberto Canessa, na época estudante de medicina.

Livros como o do relato de Nando Parrado e filmes como o uruguaio “La Sociedad de La Nieve”, de Março de 2009, contam essa extraordinária e verídica história, que despertam no leitor e no espectador sensações extremas. Surpreende ler que um dos sobreviventes arrancou uma barra de ferro da barriga de outro e, junto com ela, tirou também vísceras.

fb_04s30-VM4

É angustiante ler que os sobreviventes ouviram numa rádio que as buscas haviam sido canceladas, enquanto ainda estavam naquele lugar que não oferecia as mínimas condições de vida. Refugiados numa fuselagem toda arrebentada e rodeados por cadáveres, é muito triste ler o relato no qual o autor descreve como foram os últimos momentos de vida da irmã.

Actualmente, alguns dos sobreviventes dão conferências voltadas a empresários, empreendedores e desportistas. O grupo também se reúne, anualmente, no dia 22 de Dezembro para celebrar uma espécie de aniversário, pois, nesta data, em 1972, todos consideram ter nascido novamente.

Recorde aqui : 

1480404725_342816_1480407733_sumario_normal

Desastre aéreo morrem 7 jogadores de futebol do M. United

aviao500

O maior desastre da História da aviação mundial