“Big Brother“ – Reality Show – TVI

7 Setembro 1999

Quando George Orwell escreveu a sua obra “1984” na qual previa nesse ano que o mundo tomaria a forma de uma sociedade distópica onde o cidadão comum era constantemente vigiado e controlado por uma entidade denominada o Big Brother, decerto não imaginaria que de certo modo a sua visão só se adiantou em quinze anos.

maxresdefault

Pois em 1999, estreava na Holanda a edição original do reality show Big Brother, produzido pela produtora Endemol. Inspirado, entre outras influências, por “1984” e o programa da MTV “The Real World”, o programa pegava numa dúzia de desconhecidos previamente escolhidos para viver em reclusão dentro de uma casa cheia de câmaras que os vigiavam ao longo das vinte e quatro horas do dia e que lutavam entre si para ficarem na casa, à medida que os concorrentes iam sendo expulso à vez via votação do público.

Dado o sucesso do programa nos Países Baixos, a sua importação não se fez esperar, estreando no ano seguinte em países como Espanha, Alemanha, Suécia, Reino Unido, Bélgica e Estados Unidos. Em todos esses países (menos nos EUA, ultrapassado pelo sucesso do primeiro “Survivor”), o sucesso repetiu-se, dada a premissa de despertar o voyeur em cada telespectador, além da capacidade deste se identificar naqueles desconhecidos que de repente se tornavam presenças habituais da televisão.

0c597ac0-5267-4556-923b-f14290b00948

Como tal, era apenas uma questão de tempo até o programa chegar a Portugal, e até mesmo o seu processo foi bastante badalado. Como a SIC era o cliente mais assíduo dos produtos da Endemol, foi à estação de Carnaxide que a produtora propôs o programa, tendo sido rejeitado por Emídio Rangel. Seria José Eduardo Moniz, então director da TVI, a aproveitar a oportunidade e a comprar o “Big Brother” para Portugal, num gesto que viria a ser considerado o princípio da liderança televisiva da TVI e o fim do até então fulgurante domínio da SIC, que se concretizaria definitivamente em 2003 e que perdura até hoje.

O primeiro Big Brother português estreou em Setembro de 2000, com apresentação de Teresa Guilherme e Pedro Miguel Ramos. Doze concorrentes foram escolhidos entre milhares de candidaturas para coabitarem numa casa na Venda do Pinheiro durante um período máximo de 120 dias, com o vencedor a ser determinado no último dia do ano. Eram eles: Célia, 18 anos, estudante de Vila Nova de Gaia; Marco, 24 anos, vendedor de produtos químicos e kickboxer, do Carregado; Maria João, 20 anos, estudante, de Ermesinde; Mário, 19 anos, estudante e  modelo, de São Mamede de Infesta; Marta, 23 anos, barmaid, de Loures; Ricardo A., 24 anos, músico e informático, de Oeiras; Ricardo V., 30 anos, escritor e surfista, da Parede; Maria da Conceição a.k.a. Riquita, 29 anos, professora, de Guimarães; Sónia, 24 anos, estudante, de Aveiro; Susana, 26 anos, desempregada, de Paredes; Telmo, 23 anos, serralheiro e ex-para-quedista, de Leiria; e Zé Maria, 27 anos, trolha, de Barrancos.

222

Quando o primeiro Big Brother terminou, parecia que Portugal estava viciado no programa como uma droga. Daí que a segunda edição tenha arrancado somente três semanas depois e entretanto, a TVI tenha fornecido a devida metadona com “Big Estrelas” que seguia os concorrentes nas suas várias actividades após a saída do programa. Enquanto isso, a SIC apercebeu-se que cometera um enorme erro em recusar o programa e contra-atacou, sem grande sucesso, com programas similares como “Acorrentados” e “O Bar da TV”.

71323bc8-133e-43c4-8e6e-0b0f425ba9af-754x394