Início da “Febre do Ouro “ nos Estados Unidos

24 Janeiro 1849

Denominou-se febre do ouro um período de migração precipitada e massiva de trabalhadores para as áreas mais rústicas dos Estados Unidos, nas quais houve um descobrimento espectacular de quantidades comerciais de ouro. Costuma-se referir em especial ao que ocorreu na Califórnia a partir do dia 24 de Janeiro de 1849. As febres do ouro constituíram um rompimento notável da cultura popular do século XIX. Os factores que induziram muitos a abandonar seus empregos e modos de vida convencionais em busca do ouro, são de diversos tipos: relativas melhoras nas redes de transporte, melhorias nos meios de comunicação, que contribuíram com a propagação de notícias e rumores, determinada insatisfação social e um sistema monetário internacional com base no padrão do ouro.

1_1nsMVknWPCmFqGc9D2qgPw

Em 1849, o jornal New York Herald publicou uma notícia que levou muita gente a mudar se para a Califórnia: a descoberta de ouro no rio Sacramento. Nos meses seguintes, milhares de pessoas de todo o mundo povoaram o árido oeste dos Estados Unidos na esperança de se tornarem ricos. Mas foram poucos os que enriqueceram com a corrida do ouro. O próprio descobridor das primeiras pepitas acabou pobre.

John Sutter, um rico imigrante suíço, construíra um forte e uma serralharia na região. Muitos aventureiros pernoitavam ou moravam no seu forte. Numa tarde chuvosa, oito meses antes da publicação da reportagem no New York Herald, Sutter estava a terminar o seu expediente, quando o carpinteiro James Marshall bateu à porta.

corrida-do-ouro-mapa

“Ele estava completamente molhado”, contou Sutter à imprensa em novembro de 1857. “Disse que me trazia uma importante e interessante novidade, que só me contaria em particular. Pediu que fôssemos para um lugar sossegado, onde ninguém nos incomodasse.”

Os dois trancaram-se num quarto e Marshall tirou do bolso duas pedrinhas brilhantes amarelas, que tinham encontrado ao fazer um trabalho na serralharia de Sutter. Depois de emergir as pedras preciosas com ácido nítrico, Sutter concluiu que “se tratava de ouro fino, de pelo menos 23 quilates”.

mbXS2t0