1902 – Nascia o aviador Charles Lindberg

4 Fevereiro 1902

O aviador Charles Lindbergh nasceu no dia 4 de Fevereiro de 1902, em Detroit, Estado de Michigan, nos Estados Unidos da América, e cresceu numa pequena cidade chamada Little Falls, no Estado de Minnesota. Era filho de Charles August Lindbergh – um imigrante sueco que actuou como advogado e foi membro do Congresso norte-americano (entre 1907 e 1917) – e de Evangeline Lodge Land Lindbergh, uma professora de ascendência inglesa, francesa e irlandesa.

Lindbergh's Goggles
Aos oito anos de idade, Lindbergh viu, pela primeira vez, um avião. O piloto era o corajoso Lincoln Beachey, conhecido por suas perigosas acrobacias aéreas. Ali nasceu o amor de Lindbergh pelos aviões. Depois de terminar a escola secundária, aos 18 anos Charles entrou para a Universidade de Wisconsin, a fim de estudar engenharia mecânica.
Um dia, ao presenciar a aterragem de um avião no campus da universidade, decidiu abandonar os estudos e tornar-se piloto. Inscreveu-se como aprendiz numa companhia de aviação no Estado de Nebraska e realizou o seu primeiro voo em Abril de 1922. Ali, aprendeu os elementos essenciais para a construção de um avião e começou a participar de voos com os Barnstormers, famosos acrobatas do ar, quando aprendeu a caminhar sobre as asas dos aviões e a realizar arriscados saltos de para-quedas.

bb77bf951597c97c653487d7a880fdce

Secretamente, no entanto, Charles acalentava o mesmo sonho de todos os pilotos da época: ganhar os 25 mil dólares oferecidos pelo dono de um hotel de Nova York, o francês naturalizado norte-americano Raymond Orteig, para o primeiro aviador a voar de Nova York a Paris sem escalas. Em 1927, vários pilotos já haviam perdido suas vidas tentando realizar a proeza, mas Lindbergh estava certo de que poderia vencer, se tivesse o avião adequado.

O voo foi uma verdadeira epopeia, durante a qual Lindbergh enfrentou neblina, ventos fortes, formação de gelo nas asas e, principalmente, o cansaço. Voando a 3 mil metros ou quase rascando as águas do Atlântico, ele alcançou seu objectivo. O voo de Lindbergh electrizou as pessoas em todo o mundo. O presidente dos EUA, Calvin Coolidge, concedeu-lhe a Medalha de Honra do Congresso.

Nesse mesmo ano, ao visitar o México, conheceu Anne Spencer Morrow, com quem se casou. Em Março de 1932, o primeiro filho de Charles e Anne foi sequestrado. Dez semanas depois, o corpo da criança foi encontrado em uma floresta. Para fugir do assédio dos repórteres, os Lindbergh se mudaram para a Europa. Em 1934, um tribunal condenou à morte Bruno Hauptman pelo sequestro e assassinato do bebê Lindbergh, mas até hoje pairam dúvidas em relação ao inquérito e ao processo.

Lindbergh continuou a viajar pelo mundo. Visitou a África e as Filipinas. Durante seus últimos anos de vida, passou a interessar-se pela conservação da natureza. Faleceu no dia 26 de Agosto de 1974, na sua casa em Mauí, no Hawai. Em 1957, Billy Wilder dirigiu o filme “O herói solitário” (“The Spirit of St. Louis”), sobre a vida de Lindbergh, no qual o aviador é interpretado por James Stewart. No Brasil, a Editora Cia. das Letras publicou a melhor biografia sobre o aviador norte-americano: “Lindbergh – uma biografia”, de A. Scott Berg.

l_charles-lindbergh_1200x675