1924 – 1ª Edição da corrida de S. Silvestre em S. Paulo – Brasil

31 de Dezembro 1924

Na década de 1920, o Brasil vivia dos contrastes de um país dominado pelas elites agrícolas e o amplo desenvolvimento dos centros urbanos. As cidades e, principalmente, os meios de comunicação, abrigavam uma população que experimentava um ritmo de vida que se distinguia profundamente da zona rural. A esfera pública tornava se cada vez mais agitada por eventos que chamavam a atenção de milhares de pessoas.

No ano de 1924, o jornalista Casper Líbero voltou de uma viagem à França maravilhado com uma corrida nocturna em que os competidores carregavam tochas ao longo do percurso. Empolgado com o evento e apaixonado pelo desporto, resolveu promover uma corrida a ser realizada na viragem daquele mesmo ano. Em 31 de dezembro de 1924, apenas quarenta e oito dos sessenta competidores compareceram na primeira edição da Corrida de São Silvestre.

primeira-corrida-de-sao-silvestre

Ao longo do tempo, a competição sobreviveu aos mais variados contratempos que ameaçaram a sua existência. A Revolução Constitucionalista de 1932 e o advento da Segunda Guerra Mundial não foram suficientes para impedir que o evento anual prosseguisse e agregasse novos competidores. Com o tempo, alguns estrangeiros recebiam convite para disputar a competição. O italiano Heitor Blasi, radicado no país, venceu as edições de 1925 e 1927.

Nas suas primeiras versões, a São Silvestre era realizada em 23 minutos e cruzava uma trajectória de 8,8 quilómetros. Os participantes não recebiam nenhum tipo de dieta especial e eram terminantemente proibidos de beber água durante a prova. Carentes de um suporte especializado, os corredores utilizavam o mesmo calçado do treino para a corrida e usavam roupas que acumulavam suor nas suas fibras. O improviso e a inexperiência actuavam como via de regra.