Nasce o Fadista, Camané

20 de Dezembro 1967

Carlos Manuel Moutinho Paiva dos Santos adoptou o nome artístico de Camané, diminutivo que tinha desde a creche. Nasceu em Oeiras a 20 de Dezembro de 1966. Tem dois irmãos mais novos, também eles intérpretes profissionais de fado: Hélder Moutinho e Pedro Moutinho.

Na instrução escolar não chegou a completar o 9º ano, pelo que o pai, chefe de construção naval, lhe arranjou um emprego no Arsenal do Alfeite, onde esteve dois anos, deixando esse trabalho quando foi cumprir o serviço militar obrigatório.

2013-15-05-picture-1674890

O primeiro contacto de Camané com o fado ocorreu um pouco por acaso, quando durante a recuperação de uma maleita infantil se embrenhou na colecção de discos dos pais e descobriu os grandes nomes do fado: Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro, Carlos do Carmo…

Em 1979 ganhou uma importante gala de Fado em Portugal para jovens fadistas – “Grande Noite do Fado”. A edição de “Uma Noite de Fados”, o 1º trabalho discográfico, elogiada pela critica especializada, elegeu Camané como a voz mais representativa da nova geração do fado, possibilitando o reconhecimento da qualidade do seu trabalho pelo grande público. Realizou desde essa altura inúmeras apresentações em Portugal e no estrangeiro, actuando em França, Holanda, Itália e Espanha.

O início de 1998 foi marcado pela edição do novo trabalho – “Na Linha da Vida” que mereceu atenção especial por parte dos media, confirmando as expectativas . Durante o ano de 1998 Camané realizou inúmeros espectáculos em Portugal – destacando-se as apresentações na Expo 98 – participou no espectáculo “De Sol a Lua – Flamenco e Fado”, e ainda em alguns festivais de música na Europa, como o Festival “Tombées de La Nuit”, em Rennes e o Festival “Les Méditerranées à l’Européen” em Paris.

camane

Em 2000, novo passo na carreira de Camané: a edição em simultâneo na Bélgica, Holanda e Portugal do terceiro trabalho discográfico – “Esta Coisa da Alma”, o que proporcionou uma tournée por algumas das mais importantes salas destes países, destacando-se o Concertgebouw de Amesterdão, seguindo-se concertos em Espanha, Suíça, Alemanha e França.

Em Portugal, o ponto mais alto da tournée foi o espectáculo realizado em Outubro, no Centro Cultural de Belém e a conquista de disco de prata pelos 10 mil exemplares vendidos. Já no final de 2001 sai o seu quarto CD “Pelo Dia Dentro” que alcançou, apenas três semanas depois do seu lançamento, o disco de prata.

Em Março de 2006,foi editado o primeiro dvd “Ao vivo no S. Luiz” com o registo dos concertos que Camané realizou no Teatro Municipal S. Luiz durante a tour “Como Sempre…” Dos concertos de apresentação em 2006 destaque para o convite do Instituto Camões para dois concertos durante a “Fiera Internazionale del Libro” em Turim e o espectáculo com grande êxito de público e imprensa na Huvila Tent, no âmbito do Helsinki Festival. No início de 2007, Camané concentrou energias na preparação e ensaios para a série de concertos “Outras canções II” que realizou no Teatro São Luiz, com a participação da Orquestra Sinfónica de Lisboa, interpretando temas de Sinatra, Brel, Jobim, entre outros.

Camané editou, em Abril, o seu quinto disco de originais. “Sempre De Mim”, tendo entrado directamente para o Nº 1 do Top Nacional de Vendas, atingido o galardão de Disco de Platina.

Em “Carta Branca a Camané”, o fadista teve a seu lado Mário Laginha e a Orquestra Metropolitana de Lisboa e interpretou os seus fados de sempre com novos arranjos feitos pelo próprio Mário Laginha, José Mário Branco e também pelo maestro Cesário Costa.

camane2x