Nasce o escritor Alexandre O´Neil

19 de Dezembro 1924

Alexandre Manuel Vahia de Castro O’Neill de Bulhões, nasceu em Lisboa em 1924.

Em 1948, Alexandre O’Neill, juntamente com Mário Cesariny, António Pedro, Vespeiro e José Augusto França, lançam se na aventura do surrealismo. Este movimento, fruto da sua época, surgia como provocação ao regime político vigente, e à poesia neo realista.
Em 1950 O’Neill decide se pelo abandono polémico do Movimento Surrealista, expressando desta forma o seu desagrado pelo rumo simulado e decadente em que o surrealismo mergulhara. O poeta nunca foi muito de regimentos, e o surrealismo tinha algo de disciplina ideológica. Contudo, a sua poesia conservou traços surrealistas.
Colabora ainda com ” Os Dissidentes ” numa exposição.

alex-oneill67
O’Neill, à semelhança de muitos artistas portugueses não pôde viver da sua arte. Afirmava “viver de versos e sobreviver da publicidade”.
A publicidade foi a maneira menos trabalhosa de ganhar o sustento que Alexandre O’Neill encontrou. Esta é uma área que requer destreza e à vontade com as palavras, e nesse campo o Poeta sentia se como peixe na água. Porém, Alexandre não criou nenhum vínculo afectivo com esta profissão. Criou algumas frases publcitárias que ficaram na memória, como “Boch é Bom” e esse outro slogan, que é já provérbio, “Há mar e mar, há ir e voltar”. A publicidade deu lhe o conforto económico de que necessitava, mas sempre que se enfastiava mudava de patrão e agência publicitária!

maxresdefault
Vasto foi o seu currículo, onde constam diversas colaborações para jornais, revistas e televisão.
Fez da pátria o seu tema mais constante, e do verso crítico o pincel com que pintou paisagens, gestos e costumes quotidianos.
Transbordante de sonhos, sedento de realidades submersas, foi em vida, e é em morte, incompreendido e votado ao esquecimento. Esse terá sido o preço que pagou por se ter recusado diluir numa qualquer poesia do populismo fácil.
Faleceu em 1986.