1956 – Inicio da Guerra do Suez

29 de Outubro 1956

As forças armadas de Israel invadem o território egípcio em direcção ao Canal de Suez em 29 de Outubro de 1956, desencadeando o que a história regista como a Guerra do Suez. Pouco demorou para terem a seu lado tropas da França e da Grã Bretanha, criando uma ambiente típico da Guerra Fria no Médio Oriente .

slide_31

O catalizador para o ataque conjunto israelo-franco-britânico foi a nacionalização do Canal de Suez pelo general Gamal Abdel Nasser em Julho de 1956. Dois anos antes, os militares egípcios pressionavam os britânicos para encerrar a sua presença militar – concedida em 1936 pelo Tratado Anglo-egípcio – na zona do canal. Por outro lado, as forças armadas de Nasser mantinham  batalhas esporádicas com soldados israelitas ao longo da fronteira entre as duas nações e ambos os governos pouco faziam para evitar essas escaramuças que só faziam aumentar a tensão na área.
Apoiado pelas armas e recursos que a União Soviética lhe mandava e irritado com os Estados Unidos por renegarem promessa anterior de fornecer fundos para a construção da grande represa de Assua no rio Nilo, Nasser ordenou a ocupação e a nacionalização do canal. Os britânicos mostraram-se furiosos com a medida e foram buscar o apoio da França, que por sua vez acreditava que Nasser dava apoio aos rebeldes na colónia francesa da Argélia.

Por sua parte, Israel não precisava mais que uma provocação para atacar o inimigo na sua fronteira. Os israelitas atacaram primeiro, mas manifestaram surpresa e choque ao perceber que as tropas franco-britânicas não os seguiram imediatamente. Em vez de uma investida fulminante de uma força bastante superior o que se viu foi que o ataque se dispersou. As Nações Unidas imediatamente entraram em ação exigindo um cessar-fogo.
A União Soviética começou a emitir sinais de que estava disposta a ir em socorro do Egipto, seu aliado. Uma situação perigosa começou imediatamente a se desenrolar o que levou o governo Eisenhower, diante da possibilidade de uma confrontação direta com Moscovo, a tentar desactivar o problema. Embora os EUA tivessem alertado a União Soviética a se manter afastada do conflito, Eisenhower não deixou também de pressionar os governos da Grã Bretanha, França e Israel a retirar suas tropas.
As tropas foram finalmente retiradas entre o final de 1956 e começo de 1957. O Canal de Suez permaneceu nacionalizado sob controle do governo egípcio e dentro de regras internacionais de passagem.

conflitos-no-oriente-mdio-na-segunda-metade-do-27-728

DN-ST-84-05062