Publicado o livro – “ O Senhor dos Anéis “ de J.R.R. Tolkien

26 de Outubro 1954

O livro O Senhor dos Anéis é fruto da imaginação poderosa de Tolkien. O autor inglês sabia que a humanidade precisa de mitos, e a sociedade do anel dá início a uma história grandiosa situada num mundo imaginário chamado de Terra-Média. Nesse mundo medieval, rico em detalhes, que muitos criticam o autor nesse ponto por acharem que isso torna a leitura cansativa, opiniões essas das quais eu discordo, pois creio que as descrições de Tolkien fazem o mito parecer mais real.

poster1

A história de Frodo bolseiro, um Hobbit que herda um anel há muito desejado pelo senhor do escuro, e a sua missão de levá-lo até a montanha onde o anel poderá ser destruído, prende o leitor a cada página.

A Terra-Média é um mundo inventado que parece muito real a cada descrição feita por Tolkien de seus detalhes e geografia. Plantas, rios, árvores e aves estão descritas com grande realismo, e estradas que conduzem o leitor a regiões inexploradas, que o fazem  sentir a vastidão e a angústia da solidão que as personagens sentem nesses cenários estranhos e lendários.

A história é centrada em Frodo e os seus amigos Hobbits, mas acho que a maioria dos leitores irá se identificar com Aragorn, e, principalmente, com o mago Gandalf, o cinzento, esse último sendo o personagem que exerce uma liderança natural sobre todos os outros.

As partes em que os personagens andam pelas florestas, montanhas e estradas são realmente abundantes durante a sociedade do anel, no entanto, mais uma vez reafirmo que é isso que causa na mente do leitor uma profunda imersão no universo imaginário da Terra-Média.

As músicas cantadas durante os capítulos provavelmente possuem maior força no original em inglês, mas mesmo em português elas funcionam bem.

20634548

Depois dessa breve análise da Sociedade do anel, vale a pena parar para pensar de o porquê que a mitologia de Tolkien torna-se tão importante para quem a lê. O pensador americano Joseph Campbell já demonstrava a necessidade que todo o ser humano tem de identificar-se com algum mito.

Campbell dizia que o homem moderno está muito preocupado com as notícias do dia e nos problemas do momento. Ele recorda que o mundo universitário de antigamente fazia o estudante ficar imune ao que ocorria fora do ambiente universitário, para assim dedicar-se à vida do espírito contida na tradição de pensadores como Platão.

O mito sempre foi necessário aos homens, e é esse o motivo pelo qual o Senhor dos Anéis é tão poderoso, porque o mito fala sobre o que é eterno e comum a todos os tempos, e que dão sustentação à vida humana.
Campbell demonstra como o mito produz os sinais ao longo do caminho de nossa vida, e que sem o mito, nós deveríamos produzi-lo por conta própria, o que tornaria nossa jornada mais difícil.

O que então a sociedade do anel proporciona? A missão de uma vida, o valor da amizade, a luta do bem contra o mal e a força da coragem. Finalizando com Campbell, ele diz: “mitos são pistas para as potencialidades espirituais da vida humana”.

Daniel Pereira