O escritor José Saramago ganha o Nobel da Literatura

8 de Outubro 1998

O único Prémio Nobel da Literatura em língua portuguesa foi entregue ao escritor português José Saramago, no dia 8 de Outubro de 1998.

nobelfoto

Sobre o prémio, o júri disse que o escritor português “com parábolas portadoras de imaginação, compaixão e ironia, torna constantemente compreensível uma realidade fugidia”. Autor de 20 romances, fora poesias, cronicas, contos e peças para teatro, Saramago morreu no dia 18 de Junho de 2010, na residência em Lanzarote, nas Ilhas Canárias, onde morava desde 1993. O escritor iniciou a carreia em 1947, ganhando notoriedade em 1980 com o livro Levantado do Chão, considerado o seu primeiro grande romance. Dois anos depois, voltaria a fazer sucesso com a obra Memorial do Convento. Em 1991, o livro O Evangelho Segundo Jesus Cristo é censurado pelo governo português, e Saramago decide exilar-se em Lanzarote. O livro Ensaio sobre a Cegueira (1995) foi transformado em filme pelo director brasileiro Fernando Meirelles em 2008.

premio_nobel_portugues_jose_saramago_saluda_recibir_titulo_hijo_predilecto_andalucia1

A Academia Sueca destacava pela primeira vez, não só um escritor português, mas também a Língua Portuguesa. Ao contrário do que quase sempre acontece, esta escolha não foi alvo de contestação nem causou reticências por parte da crítica, facto que fez salientar a “seriedade” literária do escritor cuja obra, foi louvada pelo humanismo dos temas e pela qualidade da prosa.

“Um grande narrador recebeu o Prémio”, noticiava o jornal Dagens Nyheter.

O período que se seguiria trouxe a muitos de nós enorme entusiasmo e empenho na preparação de acções que levassem Portugal a ter também parte activa no programa das celebrações Nobel, uma vez que as cerimónias oficiais, bem como a organização dos eventos relacionados com a atribuição do Prémio são inteiramente da responsabilidade daquela Fundação.

As iniciativas propostas da Embaixada de Portugal em Estocolmo teriam como objectivo, não só preparar a visita do laureado mas, para além disso, divulgar a sua obra na Suécia, através de manifestações culturais de excelente oportunidade no ano em que Estocolmo era a capital europeia da cultura.

saramago_nobel

Integrando estas acções destacaram-se os colóquios na Universidade de Estocolmo, apoiados pelo Instituto Camões e pelo Departamento de Espanhol e Português daquela Universidade, com a participação dos Professores Maria Alzira Seixo, Carlos Reis e José Manuel Mendes; o encontro com José Saramago na Casa da Cultura (Kulturhuset) onde, num trabalho desenvolvido com este Instituto, se organizou uma “conversa informal” entre o escritor e o público com lugar para leitura de trechos em português e sueco de obras suas e inauguração de uma exposição de livros e documentos relativos ao escritor, com o título “O homem dentro do romance”. Na Biblioteca Real de Estocolmo (Kungliga Biblioteket) e em colaboração com a mesma, esta Embaixada deu igualmente relevo à obra de José Saramago apresentando uma exposição semelhante que incluiu obras, fotografias, recortes de imprensa e outros documentos.