Atentado e morte da Jornalista – Veronica Guerin

26 de Junho 1996

“ Não tenhas medo “ . A frase no memorial de Veronica Guerin resume o que foi a vida da jornalista  que, em 1996, morreu ás mãos  dos barões da droga na Irlanda .

d135fb8284bcc28deb1cdf91b79b1a30

Verónica foi assassinada com 6 tiros , na estrada de Naas, arredores de Dublin, por dois jovens que a seguiam de mota.

A repórter que em Dezembro de 1995 ganhou o prémio internacional da liberdade de imprensa do comité para a protecção de jornalistas, falava ao telemóvel com um colega quando a fatalidade aconteceu. Há mais de 1 ano que a ameaça de morte pairava sobre Guerin desde  que fora baleada na sua própria casa. Nesta altura apenas levou um tiro na perna mas nada a demoveu da procura da verdade.

CC-Veronica-Guerin0000400107781

Continuou a escrever sobre os traficantes e seguia o rasto do dinheiro proveniente da droga.

Na Irlanda faziam se grandes fortunas de um momento para o outro sem que nada o justificasse.

MI+Veronica+Guerin

“Se eu ficar intimidada, eles ganham e eles nunca vão ganhar”, afirmou Veronica, depois de ter sido espancada por John Gilligan (proprietário de um centro hípico) quando ela o confrontou, à porta de casa, sobre a proveniência da sua fortuna.
Veronica foi baleada, esmurrada e pontapeada, no espaço de poucos meses; recebeu ameaças de morte que a visavam a ela e ao filho, menor; sofreu tentativas de suborno para largar a investigação sobre o submundo da droga, onde a sua principal fonte era um criminoso condenado, John Traynor, que viria a ser o seu carrasco.

887-Bernie-Guerin-Funeral
A mando de Gilligan, seu chefe, Traynor organizou o atentado contra Verónica, no dia em que ela anunciou a publicação de uma história sobre o seu envolvimento no crime. Na noite de 25 de Junho de 1996, quatro membros do gang de Gilligan – Charles Bowden, Brian Meehan, Peter Mitchell e Simas Ward – orquestraram o ataque, que seria consumado no dia seguinte.

veronica-guerin-murder-story-crime-victims-murdered-reporters-portrait-upright-2-752x501

Verónica saiu do Tribunal de Naas, após conhecer a sentença por uma malta de trânsito, e meteu-se no seu Opel vermelho. Parou no semáforo perto de Newlands Cross, sem se aperceber que estava a ser seguida por dois jovens de moto. Um deles partiu o vidro do carro e desferiu seis tiros. A luta de Guerin contra a criminalidade organizada chegava ao fim, mas a sua morte não foi em vão.