1502 – Nascia Dom João III o “ Piedoso “

6 de Junho 1502

Foi rei da Segunda Dinastia e o décimo quinto Rei de Portugal, filho de Dom Manuel I, rei de Portugal e de Dona Maria de Castela, nasceu em Lisboa a 06 de Junho de 1502 e morreu em Lisboa a 11 de Novembro de 1557, e está sepultado em Lisboa no Mosteiro dos Jerónimo, casou com Dona Catarina de Áustria, e teve como descendentes legítimos: Afonso, Beatriz, Maria, Isabel, Manuel, Filipe, Dinis, João e António.

02 - Joao_III por FRANCISCO de HOLANDA em 1535

Começou a governar em 1521 e terminou em 1557. Durante o reinado de Dom João III houve um considerável avanço na empresa dos descobrimentos, houve uma ação diplomática importante com particular relevo para os contactos feitos com a Santa Sé, acentuou-se a política absolutista e incentivou-se o desenvolvimento da cultura portuguesa.

Dom João III herdou de seu pai um país no apogeu da sua expansão ultramarina. O rei procurou consolidar as posições portuguesas na Índia, assegurou o monopólio das especiarias e estabeleceu contactos com a China e o Japão. Preferiu abandonar as praças marroquinas de Safim, Azamor, Alcácer Ceguer e Arzila, para que Portugal pudesse elevar ao máximo o comércio da Índia e iniciar o aproveitamento das potencialidades do Brasil.

Expandiu o comércio português, alargando os contatos direto com o leste da Europa. Confiou à nascente Companhia de Jesus, a evangelização do Oriente, do Brasil e da África, tendo-lhe também entregue o Colégio das Artes de Coimbra. A proteção que dispensou à cultura foi uma das coroas de glória deste rei.

Foram apoiados por si nomes como Resende, Damião de Góis, Sá de Miranda, Bernardim Ribeiro, Gil Vicente, André de Resende, João de Barros, Pedro Nunes, António de Holanda e Luís de Camões. Será difícil encontrar na História de Portugal uma época com a importância cultural que esta teve…

Também a ele se ficou a dever a instituição do Tribunal do Santo Ofício, mais conhecido por Tribunal da Inquisição que tão más recordações deixou na História de Portugal. Apesar do grande número de filhos que lhe deu o seu casamento com Dona Catarina, o fato é que foram morrendo, chegando mesmo a colocar-se um problema de sucessão. Coube a seu neto,Dom Sebastião, filho de Dom João, a responsabilidade de subir ao trono após a sua morte, embora sob a Regência de Dona Catarina sua avó.

D._João_III_-_Cristóvão_Lopes_(attrib)