A apresentadora de Tv Barbara Guimarães está de Parabéns !

21 de Abril  1973

Apresentadora de televisão e jornalista portuguesa, Bárbara Guimarães nasceu a 21 de abril de 1973, em Sá da Bandeira, Angola, mas com apenas quatro meses veio morar para Portugal. Viveu primeiro em São João da Madeira e aos oito anos foi com a família viver para Lisboa.
Na capital, frequentou o curso de Relações Internacionais da Universidade Lusíada, mas antes de o terminar (esteve lá três anos letivos) mudou para o CENJOR, Centro de Formação de Jornalistas. Neste estabelecimento de ensino, fez formação como jornalista, a sua área de eleição. Com vinte anos, ingressou no canal privado TVI, que na altura estava na fase de arranque das emissões. Bárbara Guimarães depois de fazer um casting, desafiada por um amigo, apresentou ao lado do jornalista Artur Albarran o telejornal da noite – “Novo Jornal”. Ainda na TVI, apresentou o “Último Jornal”, a meias com José Carlos Castro, e um magazine diário de espetáculos chamado “7.15”. Entretanto, fez um curso de montagem em televisão. Em 1996, mudou para o outro canal privado português, a SIC, para onde foi apresentar o popular concurso “Chuva de Estrelas”. Este programa era destinado a pessoas que pretendiam singrar no mundo da música e, até aí, tinha sido apresentado por Catarina Furtado. Ainda na SIC, entre outros programas, participou em “Furor” e “Mundo VIP”, tendo criado a rubrica “Um dia com…”. Também criou e apresentou, a par com o maestro António Victorino d’Almeida, “Duetos Imprevistos”, um programa sobre os grandes compositores da música mundial. Paralelamente, foi apresentando diversos espetáculos e galas transmitidos pela SIC. Já na SIC-Notícias, canal informativo transmitido por cabo, apresentou, a partir de 2001, “Sociedade das Belas Artes”, um magazine cultural, “Terceiro Elemento”, “Oriente” e “Páginas Soltas” (10 minutos de programa a falar sobre livros), que lhe proporcionou entrevistar diversos convidados de várias áreas do saber. Foi também a apresentadora das edições do Campeonato Nacional da Língua Portuguesa, iniciativa da SIC Notícias e dos jornais JL e Expresso. Paralelamente à televisão, Bárbara Guimarães desenvolveu uma carreira na estação de rádio Antena Um, onde apresentou, a partir de 1998, o programa diário cultural “Culto”, da sua autoria, e que contou com o apoio da Fundação Oriente.
Em 1999, Bárbara Guimarães ganhou o prémio de melhor imagem na gala Portugal Fashion.

Bárbara Guimarães

Foi em trabalho que conheceu Manuel Maria Carrilho, ministro da Cultura entre 1995 e 2001. “Extraordinariamente profissional”, foi como a lembrou o socialista e filósofo nessa fase. Juntaram-se oficialmente em 2001, numa reunião de amigos mas sem casamento, já que nessa altura se descobriu um impedimento: Bárbara casara anos antes com Pedro Miguel Ramos, numa praia em Punta Cana. O casamento civil com Carrilho foi só em 2003, depois de concedido o divórcio por Pedro Miguel. Um ano depois tiveram o primeiro de dois filhos.

Surgiram como dupla na campanha autárquica de 2005 em que Carrilho defrontou Carmona Rodrigues. Bárbara foi uma espécie de atracção no terreno de campanha, multiplicaram- -se as imagens da vedeta da TV a distribuir sorrisos e flores ao lado do marido. Interrompeu até a carreira televisiva para se dedicar a um palco em que a estratégia passava claramente por fazer render em votos o capital de uma estrela de dimensão nacional. O momento mais alto foi o do famoso vídeo de campanha em que Bárbara surge com o filho – “diz “papá”, Dinis, “pa-pá””. Na política a parelha correu mal. Carrilho perdeu com estrondo as eleições. Mas a imagem pública do casal filósofo-político/estrela televisiva continuava imaculada. A dinâmica seguiu até 2013, quando rebentou a tempestade que escreve agora esta nova página da biografia da apresentadora.

hw0KBM9Q_FjLHkm0D9TwvviURdaPokEO

IMG_4180

JMO_4578-copy

JMO_6079-copy-850x1275

DSC00020 as Smart Object-1