1512 – Pinturas do tecto da Capela Sistina de Michelangelo expostas pela 1ª vez

2 de Dezembro 1512

tecto da Capela Sistina é constituído por um extenso fresco, concebido por Michelangelo entre 1508 e 1512. O trabalho, feito a pedido do Papa Julio II, é considerado não só um marco da pintura da Alta Renascença, mas também uma das mais famosas obras da História de Arte e um dos maiores tesouros da Santa Sé. A Capela Sistina, localizada no Vaticano, foi construída entre 1477 e 1480, a mando do papa Sisto IV, em homenagem ao qual foi nomeada. No local, acontecem o conclave e outros importantes eventos da Igreja Católica.

Centrais no tecto, estão nove cenas do Genesis, dentre as quais ”A criação de Adão” é a mais famosa, tendo uma representatividade icónica igualada somente pela Mona Lisa, de Leonardo da Vinci. Um símbolo da influência desse painel do fresco é o detalhe do encontro das mãos de Deus e Adão, reproduzidas incontáveis vezes na Arte e na cultura popular. O complexo grupo de desenhos inclui vários conjuntos de figura humana, tanto vestida quanto desnuda, que permitiram a Michelangelo demonstrar plenamente a sua habilidade de criação em grande variedade de composições, além de terem inspirado gerações de artistas desde então.

Michelangelo_-_Creation_of_Adam

Michelangelo, por considerar-se mais um escultor que pintor, foi relutante em aceitar o trabalho. Ele mostrava-se atarefado com uma grande encomenda escultural para a tumba do papa. Este, no entanto, foi insistente, deixando o artesão sem escolha.  O contrato para a feitura dos frescos no tecto foi assinado em 10 de maio de 1508.

O plano proposto pelo papa previa doze grandes representações dos Apóstolos nos pendiculos. Michelangelo, entretanto, negociou a feitura de um plano maior, mais complexo, vindo posteriormente a receber autorização para, em suas próprias palavras, “fazer como eu gostaria. A esquemática pretendida pelo artista chegou eventualmente a ser composta por cerca de trezentas figuras e levou quatro anos para ser executada, com término em 1512. Muito se questiona entre historiadores da arte acerca da possibilidade da obra ter sido, de facto, em conteúdo, fruto do planeamento e da vontade de Michelangelo. Egidio de Viterbo foi o suposto responsável pela consultoria em relação aos conhecimentos de teologia necessários para a criação da obra. Muitos escritores, todavia, descrevem Michelangelo como tendo o intelecto, o conhecimento bíblico e o poder inventivo para ter idealizado o plano sozinho. Essa ideia é apoiada pela afirmação de Ascanio Condivi de que Michelangelo leu e releu o Velho Testamento no período de pintura do tecto, buscando inspiração nas palavras das escrituras, em vez deixar-se influenciar pelas tradições da Arte Sacra. Em totalidade, a obra é composta por 343 figuras.

02view

Vatican. May, 4, 2010

ITALY - JANUARY 21:  Part of the artwork of Michelangelo that adorns the ceiling of the Sistine Chapel at the Vatican, Italy.  (Photo by Fotopress/Getty Images)

sistine1

sistine6

Sistine-Chapel2