José Wallenstein está de Parabéns !

18 de Outubro 1959

José Wallenstein, actor, encenador e realizador português, nasceu em Lisboa a 18 de Outubro de 1959 numa família com uma forte ligação às artes performativas, de ascendência açoriana e alemã. O pai era o actor e encenador Carlos Wallenstein (1926-1990) e, a mãe era a actriz, professora e encenadora Maria do Bom Sucesso Wallenstein (1927-2007)

Concluiu o curso de Formação de Actores, da Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa em 1985

Iniciou a sua carreira como actor em 1980 no teatro, na peça “A Paixão Segundo Pier Paolo Pasolini” de Filipe La Feria e no cinema, na longa-metragem de Manuel de Oliveira “Francisca”, iniciando uma colaboração regular com o cineasta.

Foi director do Teatro Nacional São João, entre Setembro de 2000 e Setembro de 2002, durante o evento Porto 2001-Capital Europeia da Cultura com a programação do festival internacional de teatro PONTI 2001.

Dirigiu acções pedagógicas e leccionou no campo da interpretação para teatro no Chapitô, Balleteatro, Universidade Moderna e Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Leccionou também a disciplina de Cenografia, no Curso de Mestrado de Arquitectura e Urbanismo do ISCTE.

A sua estreia na televisão surge no ano de 1983 em “Docteur Cornelius” seguido de “L’Homme du Suez”, produzido na altura pelo canal francês TF1. Em 1984 participa numa produção da RTP, “Quando as Máquinas Param” e desde então, popularizado pela televisão, participou em diversas séries, telefimes e novelas.

No Palco, a partir da década de 1990, encenou peças de autores como Nigel Williams, Nick Grosso, Franz Kafka, Bertolt Brecht, Peter Handke ou Carlo Goldoni.

Registam o seu trabalho na ópera: Édipo -Tragédia do Saber de António Pinho Vargas e Pedro Paixão; Punch and Judy de Harrison Birtwistle; Renard de Igor Stravinsky e Street Scene de Kurt Weill/Langston Hughes.

Como actor, a sua interpretação em A Grande Paz, de Edward Bond (1987), valeu-lhe o Prémio de Melhor Actor de Teatro da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro. Em 1988 foi nomeado para o Prémio Garrett, da Secretaria de Estado da Cultura pelo desempenho em Três Irmãs, de Anton Tchekhov.

Participou em mais de trinta peças de teatro nos últimos vinte e dois anos

Com Manoel de Oliveira participou nas longas-metragens: Espelho Mágico (2005); V Império – Ontem Como Hoje (2004); O Porto da Minha Infância (2001); A Divina Comédia (1990); Le Soulier de Satin (1984).

Em 2004, com Lucky Day e em 2006 com a curta-metragem Alter-Ego juntamente com Artur Serra Araújo, estreia-se como realizador de cinema.

3879ab7b3c17f8e9f393b90deb2983d3

188532_1009882223701_6735898_n_h4

edit_9i

maxresdefault

MG_7360-850x567

untitled_1_371_1