Criação do Guetto de Varsóvia pela Alemanha Nazi

16 de Outubro 1940

Enquanto os campos de concentração destinavam-se aos prisioneiros políticos, os judeus foram obrigados e viver em “guetos”; Os guetos judeus na região do chamado “governo geral” (área sob domínio nazista) deveriam acolher todos os judeus europeus: Lodz, Varsóvia, Cracóvia, Jalowiec ou Bialystok.

Quando o exército alemão instalou-se na Polônia e passou a exercer controle efetivo na área sob seu domínio, em outubro de 1939,iniciou uma política de transferência dos 400 mil judeus de Varsóvia para o antigo bairro judeu que, em condições normais, tinha condições de  abrigar 60 mil pessoas.

Um muro de cerca de 3 metros de altura, ao longo de 18 kilometros foi rapidamente levantado para isolar completamente o bairro, que tornou-se um “gueto” no sentido mais exato e nefasto da palavra. Aos judeus de Varsóvia se somaram outros 100 mil, presos nos povoados vizinhos. As imagens do gueto mostram as condições sub-humanas de vida sem a menor infra-estrutura habitacional, de alimentação ou de saúde.. Crianças esqueléticas pediam esmolas nas ruas, adultos desesperados sem dinheiro para poder sobreviver. Os gêneros alimentícios eram contrabandeados.

Ghetto_Wall_Warsaw_Ghetto_010

Imediatamente após a ocupação alemã da Polónia em 1939, os alemães começaram a planear o isolamento da população judaica de Varsóvia num gueto. Nessa altura, a administração do governo geral ainda não tinha sido completamente organizada, e havia interesses conflituosos entre os três principais poderes: a administração civil, o exército e as SS. Sob estas circunstâncias, o conselho judaico, ou Judenrat, liderado por Adam Czerniakow , conseguiu atrasar a criação do gueto por um ano, sobretudo justificando aos militares que os judeus eram uma força de trabalho importante.

No entanto, o gueto acabou por ser criado pelo General Gouverneur alemão da Polónia  em 16 de Outubro de 1940.

Em 1942, os nazistas deram início a sua política de eliminação física dos judeus, cujo nome era “deportação para o Leste”. Para as pessoas nos guetos, afirmavam que iriam para uma frente de trabalho e que poderiam inclusive ganhar dinheiro. Mas o destino final da viagem eram os campos de extermínio. Até janeiro de 1943, quase 317 mil judeus foram deportados e assassinados nas câmaras de gás.

As pessoas que permaneceram no Gueto de Varsóvia ficaram desconfiadas e a resistência judaica que começara a se organizar início de 1940 transformou-se num grupo de combate, reunindo todas as tendências políticas possíveis.

1280px-Stroop_Report_-_Warsaw_Ghetto_Uprising_06b

Resistiram quase a tudo até que o comandante alemão Jürgen Stroop recebeu ordem pessoal de Hitler para usar de todos os meios a fim de destruir o gueto: artilharia, blindados, lança-chamas, gás asfixiante. Era uma luta corpo a corpo nas ruas, nas casas, sala por sala, sobre os telhados, nos porões, nos esgotos. Finalmente, no ataque final, a aviação alemã teve que intervir para acabar com os últimos focos de resistência.
Para comemorar a destruição do “gueto”, Stroop mandou dinamitar a principal sinagoga de Varsóvia, representando o ato final do extermínio daquela que havia sido uma das maiores comunidades judaicas da Europa.

Stroop Report 2/4 Record Group 038 United States Counsel for the Prosecution of Axis Criminality; United States Exhibits, 1933-46 HMS Asset Id: HF1-88454435 ReDiscovery Number: 06315

Stroop Report 2/4 Record Group 038 United States Counsel for the Prosecution of Axis Criminality; United States Exhibits, 1933-46 HMS Asset Id: HF1-88454435 ReDiscovery Number: 06315

vtBiQSJ