Stanislav Petrov evita 3ª Guerra Mundial

26 de Setembro 1983

Stanislav Petrov (nascido em 1939) é um coronel reformado do Exército Vermelho que, em 26 de Setembro de 1983, evitou uma potencial guerra nuclear ao se recusar a aceitar que mísseis Americanos tinham sido lançados contra a URSS, apesar da indicação dada pelo sistema de alerta computorizado. Os alertas do computador soviético mais tarde revelaram se errados, e Petrov ficou como a pessoa que evitou a Terceira Guerra Mundial e a devastação de boa parte da Terra por armas nucleares. Por causa do sigilo militar e de diferenças políticas e internacionais, os actos de Petrov foram mantidos em segredo até 1998.

O Tenente-Coronel Stanislav Petrov era o oficial do dia no bunker Serpukhov-15 perto de Moscovo no dia 26 de Setembro de 1983, época da Guerra Fria apenas 3 semanas e meia antes os soviéticos tinham derrubado um avião Boeing 747 Sul Coreano matando 269 pessoas a bordo. A responsabilidade do Tenente-Coronel Petrov era observar a rede de alerta preventivo por satélites e notificar os seus superiores sobre qualquer possível ataque com míssil nuclear contra a URSS. Caso isto ocorresse, a estratégia da União Soviética era lançar imediatamente um contra-ataque nuclear maciço contra os Estados Unidos, como previsto pela doutrina da Destruição Mutua Assegurada.

Pouco após a meia-noite, os computadores do bunker indicaram que um míssil norte americano se movia em direcção à União Soviética. O Tenente Coronel Petrov deduziu que havia ocorrido um erro do computador, já que os Estados Unidos não lançariam apenas um míssil se estivessem a atacar a União Soviética, e sim vários ao mesmo tempo. Além disso, a confiabilidade do sistema por satélite havia sido questionada anteriormente. Por isso, ele considerou o alerta como falso, concluindo que de facto não havia míssil lançado pelos EUA.

Pouco tempo depois, os computadores indicavam que um segundo míssil tinha sido lançado, a seguir dum terceiro, um quarto e um quinto. Petrov ainda acreditava que o sistema computorizado estava errado, mas não tinha outras fontes de informação para poder confirmar as suas suspeitas. O radar terrestre da União Soviética não tinha capacidade para detectar mísseis além do horizonte, então quando o radar terrestre pudesse positivamente identificar a ameaça, seria tarde demais.

Apesar de ter prevenido um potencial desastre nuclear, Petrov desobedecera a ordens e desafiara o protocolo militar. Mais tarde, ele sofreu intenso interrogatório pelos seus superiores sobre a sua atitude durante a prova de fogo, o resultado disso foi que ele não mais foi considerado um oficial militar confiável, tendo sido retirado do serviço militar.

Petrov continua a viver na Rússia como reformado, mas na pobreza. A  21 de Maio de 2004, a associação, Association of World Citizens , deu ao Coronel Petrov o prêmio World Citizen Award, junto com um troféu e  1.000,00  USD em reconhecimento ao papel exercido ao evitar a catástrofe.

The-Man-Who-Saved-The-World

MOSCOW, RUSSIA - MARCH 19:  Former Soviet Colonel Stanislav Petrov sits at home on March 19, 2004 in Moscow, Russia. Petrov was in charge of Soviet nuclear early warning systems on the night of September 26, 1983, when a false "missile attack" signal appeared to show a U.S. nuclear launch and decided not to retaliate. He is feted by nuclear activists as the man who "saved the world" by determining that the Soviet system had been spoofed by a reflection off the earth.  (Photo by Scott Peterson/Getty Images)

Stanislav Petrov (R), a former lieutenant colonel of the Soviet Air Defence Forces, poses with his award next to Karlheinz Koegel, chief of German Media Research Group during the German media award 2011 ceremony in Baden Baden, February 24, 2012. REUTERS/Alex Domanski (GERMANY - Tags: ENTERTAINMENT MEDIA) - RTR2YDUT