Voo TWA 800 – Acidente ou atentado ?

17 de Julho 1996

Voo TWA 800 fazia uma rota aérea regular e internacional entre Nova Iorque e Paris, operada pela extinta companhia aérea Trans World Airline.

Na noite de 17 de julho de 1996, o avião precipitou se no Oceano Atlântico perto das Ilhas Moriches, na costa do Estado de Nova Iorque, doze minutos depois de descolar do Aeroporto J.F. Kennedy, causando a morte de todos os seus 230 ocupantes .

O relatório final, divulgado quatro anos depois do acidente pela NTSB, concluiu que a causa provável do acidente foi uma explosão dentro de um dos tanques de combustível.

A aeronave envolvida neste acidente era um modelo Boeing 747 – 131, fabricada em Julho de 1971.

Um documentário televisivo sobre o voo 800 da TWA apresenta “provas sólidas” que contrariam a explicação oficial sobre as causas do acidente, garante um dos produtores do trabalho.

A novidade, disse Tom Stalcup à CNN, está na apresentação de dados do radar que atestam os depoimentos de várias testemunhas – a de que foi visível uma explosão a partir do exterior do avião, o que sugere poder ter sido atingido por um rocket.

Ainda que inicialmente a hipótese de um ataque terrorista tenha sido muito falada – atribuído eventualmente à Al-Qaeda , investigações da CIA, do FBI e do Departamento de Segurança dos Transportes acabaram por afastar essa hipótese. Oficialmente, o Boeing 747 sofreu um curto-circuito que detonou vapores de querosene no tanque central de combustível, causando a explosão.

O documentário recorda, no entanto, que nenhuma das testemunhas foi autorizada a falar. E vai mais longe, ao ouvir a opinião de vários especialistas envolvidos na investigação à época e que garantem que a versão oficial foi falseada. Impedidos de falar publicamente sobre o caso, os vários homens citados no filme tiveram de esperar pela reforma para poderem contar as suas versões.

A intenção dos produtores, que estão a promover uma petição nesse sentido, é forçar a reabertura do caso, para que finalmente se saiba a verdade a que “os familiares das vítimas têm direito”.

1097472

maxresdefault (1)

maxresdefault

tw