“Gabriela” – Estreia na RTP

16 de Maio 1977

A obra Gabriela, Cravo e Canela, da autoria do escritor brasileiro Jorge Amado, foi publicada em 1958 e, posteriormente, traduzida para mais de trinta idiomas. Foi o livro mais vendido no mundo por Jorge Amado e deu ainda origem a uma telenovela, em 1975, produzida pela TV Globo, do Brasil.
Gabriela, Cravo e Canela foi a primeira telenovela a passar em Portugal e teve um enorme sucesso. Chegou à Radiotelevisão Portuguesa em 1977 pela mão de Carlos Cruz. A novela passou na televisão portuguesa entre maio e novembro, sempre em horário nobre, à hora do jantar, e cinco dias por semana. Criou junto do público o hábito de ver telenovelas brasileiras e quem não tinha televisão juntava-se em cafés ou outros estabelecimentos públicos para seguir os capítulos.

A telenovela brasileira tinha como vedeta principal a actriz Sónia Braga no papel de Gabriela, mas tornou conhecidos do público vários actores brasileiros de renome como José Wilker, Armando Bógus e Paulo Gracindo.
Esta produção brasileira apresentou também aos portugueses uma série de inovações a nível televisivo, como um enredo muito forte, personagens marcantes e situações do quotidiano que se iam adensando e entrelaçando. Para além disso, as personagens eram bem interpretadas e o argumento da novela era bem escrito, apresentando a música como elemento fundamental.

Trata-se de uma crónica de uma cidade do interior brasileiro chamada Ilhéus e a história começa em 1925. Nacib, um sírio emigrado no Brasil, fica de repente sem cozinheira e vai procurar de emergência uma substituta ao “Mercado de Escravos”, onde tinham acabado de chegar vários refugiados flagelados. É lá que encontra Gabriela, toda suja e maltratada. Mesmo sem estar convencido das suas capacidades para a lide doméstica, acaba por levá-la para casa. Ela acaba por se revelar uma excelente cozinheira e cai nas graças de Nacib.

20120611163741_06-600x450

mundonovelas_gabriela3

mundonovelas_gabrielalogo1

sonia-gabriela-filme