Morre Ayrton Senna

1 de Maio 1994

Os comissários chegam 21 segundos depois. Os médicos pouco depois. Senna parecia inconsciente. Em dois minutos Sid Watkins estava também em Tamburello. Pela televisão deixou-se entender que todo o aparato era uma luta para salvar o piloto. Tiraram Senna do carro, estenderam-no no chão. Apenas 4 minutos depois do acidente. Mas o professor Watkins sabia ao vê-lo, que Senna morreria ali. Watkins contou mais tarde em livro: “Senna estava com rosto tranquilo mas desfigurado. Deu um grande suspiro. Como se a sua alma tivesse partido!” 

7742115_orig

img_012_especiais

 

A Viagem para o Hospital Maggiore durou pouco mais de 12 minutos. Durante a viagem, Senna já tinha levado uma transfusão de 4,5 litros de sangue.

As lesões neurológicas de Ayrton Senna foram irreparáveis, e cerca de três horas após o acidente em Ímola, as funções vitais do piloto, dono de três títulos mundiais da F1, encerraram-se.

Aos 34 anos de idade, Ayrton Senna da Silva, três vezes campeão mundial de F1 e considerado um dos melhores de todos os tempos, não resistiu aos ferimentos consequentes à  colisão com o muro que limita o autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Imola , na curva Tamburello, nesse domingo. As funções vitais e os batimentos cardíacos do piloto encerraram às 13h40 (de Brasília), no Hospital Maggiore, em Bolonha. Ayrton Senna morreu.

O anúncio da morte de Senna foi feito pela Dra. Maria Tereza Fiandri, a mesma médica que vinha actualizando todos os presentes no Maggiore sobre os boletins médicos do piloto. A morte cerebral já havia sido confirmada antes, após um electroencefalograma e uma tomografia.

Ainda na pista, a equipa médica constatou perda de massa encefálica e realizou uma traqueotomia no piloto, que sofrera paragem cardíaca. Senna foi encaminhado ao Hospital Maggiore de helicóptero.  Recebeu uma transfusão sanguínea que o manteve vivo por mais algumas horas, com funções vitais e respiração estáveis. Porém, não havia mais actividade neurológica.

O corpo de Senna deverá seguir para o Instituto Médico Legal (IML) de Bolonha nas próximas horas.

hqdefault