Fim do Pacto de Varsóvia

31 de  Março  1991

Pacto de Varsóvia  foi uma aliança militar formada em 14 de Maio de 1955 pelos Países Socialistas do Leste Europeu e pela União Soviética, países estes que também ficaram conhecidos como Bloco de Leste. O tratado correspondente foi firmado na capital da Polonia, Varsóvia, estabelecendo um compromisso de ajuda mútua em caso de agressões militares e legalizando na prática a presença de milhões de militares soviéticos nos países do leste europeu desde 1945.

O organismo militar foi alegadamente instituído em contraponto à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), organização internacional que uniu as democracias da Europa Ocidental e os Estados Unidos para a prevenção e defesa dos países membros contra eventuais ataques vindos do Leste Europeu.

Os membros da aliança foram a União Soviética, Polónia, Republica Democrática Alemã, Checoslováquia, Hungria, Roménia, Bulgária, Albânia (esta última retirou-se em 1968), sendo que a estrutura militar seguia as diretrizes soviéticas. A Jugoslávia, por oposição do Marechal Tito, recusou se a ingressar no bloco.

Porém, as principais acções do Pacto foram dentro dos países-membros para a repressão de revoltas internas. Em 1956, tropas reprimiram manifestações populares na Hungria e Polônia, e em 1968, na Checoslováquia, na chamada Primavera de Praga que pediam a descentralização parcial da economia e a democratização.

As mudanças no cenário geopolítico da Europa Oriental no final da década de 80, com a queda dos governos socialistas, o fim do Muro de Berlim, o fim da Guerra Fria e a crise na União Soviética levaram à extinção do Pacto em 31 de Março de 1991. O fim do Pacto de Varsóvia representou, também, o fim da Guerra Fria.

Charge 2

 

Logo_The_Warsaw_Pact

 

2000px-NATO_Warsaw_Pact.svg